• 1 de setembro de 2020
  • 0

Histórico da disputa de São Luís prova que partidos podem fazer no máximo três eleitos e um na sobra

Durante a pré-campanha, muitos partidos se articularam e montaram suas chapas prometendo a eleição de 4 até 7 postulantes por partido. Esse é o caso de PCdoB, PL, PDT, DEM e Podemos, que vislumbram uma robusta bancada na Câmara Municipal, mas um levantamento feito pelo Blog Diego Emir mostra que nas últimas duas eleições municipais, apenas dois partidos conseguiram eleger diretamente três vereadores, através do quociente eleitoral.

Em 2012, o MDB foi o campeão de votos com 43667 votos e seria o suficiente para eleger três vereadores – Helena Duailibe, Fábio Câmara e Osmar Filho. No entanto, o atual presidente acabou perdendo a vaga para Sebastião Albuquerque que era do DEM e o partido só teve 8790 votos. O segundo partido com mais votos foi o PSDB com 43607 votos, que não coligou e elegeu diretamente três vereadores – Dr Gutemberg, Sérgio Frota e José Joaquim.

Em 2016, o PDT foi o mais votado com com 49873 votos e elegeu quatro vereadores – Osmar Filho, Raimundo Penha, Pavão Filho e Ivaldo Rodrigues – mas isso foi possível a coligação com DEM, PR e PROS, que acrescentaram 14110, 24423 e 20874 votos, ou seja, se fossem separados, o PDT elegia três, o DEM nenhum, PL (PR) um e PROS apenas um, mas com a coligação o PDT fez quatro, o DEM um, o PL dois e o PROS um.

O segundo mais votado foi o PCdoB com 46094 votos e elegeu diretamente os três vereadores como previsto pelo quociente, o partido ajudou eleger uma vereadora pelo PSC, que não chegaria nem perto da vaga, caso o partido estivesse sozinho, pois a legenda somou apenas 7953 votos.

Em 2016, a distribuição de vagas ficaria da seguinte forma: PDT três vagas, PCdoB três vagas, Progressistas duas vagas, PHS uma vaga, PSL uma vaga, PTC uma vaga, PL uma vaga, PRTB uma vaga, PTB uma vaga, PEN uma vaga, PSD uma vaga, PROS uma vaga, PSDB uma vaga, PSB uma vaga, PRB uma vaga, PMN uma vaga e PRP uma vaga. As demais nove vagas seriam distribuídas proporcionalmente de acordo com a sobra.

Diante desse cenário apresentado nas eleições passadas é muito provável que ocorra uma repetição desses desempenhos e uma pulverização das vagas na Câmara de Vereadores de São Luís.

Trabalhando com um cenário bem realista, PCdoB, PL, PDT, DEM e Podemos vão eleger no máximo três vereadores de forma direta e vão brigar por uma quarta vaga.

Os demais partidos que devem oscilar entre uma e duas vagas são: PMN, PSL, PTB, Solidariedade, Republicanos, PT, Patriotas, PRTB, Avante e PSC.

Os que vão lutar por uma vaga: Progressitas, Cidadania, DC, PTC, PSB, PV, PSD, MDB, PMB e NOVO.

Os que não devem atingir o quociente eleitoral: PSTU, PSOL, Rede, PSDB e PROS.

Três partidos não participam da eleição de vereadores em São Luís: PCO, PCB e UP.

Deixe o seu comentário